Minha história com a ansiedade

Mas então o que é essa sensação de desconexão com o presente? Em que a mente flutua para o futuro, gerando medo e muitas vezes o corpo precisando se alimentar dessa emoção para se manter em constante estado de alerta.

Esse sentimento que as vezes quer tomar conta como sendo uma verdade e aí eu me perguntava, de onde ela vem?

Qual a sensação de desconexão com o agora que eu vivia, claro que eu não sabia sobre o amanhã, mas minha mente flutuava e queria controlar tudo o que ia acontecer daqui a um minuto, 10 horas, no dia seguinte.

Talvez esse seja um dos males do século, pois dela provém muitas outras coisas, e normalmente se estamos desatentos, vamos ter os “famosos” escapes, como por exemplo, comer demais, ter um estilo de vida não muito saudável, fazer muitas coisas de forma automática, entre outras.

E as vezes eu tinha uma identificação tão grande com a ansiedade, que achava ser ela e ficava muito desconectada com outras coisas da vida, porque tinha muito medo do futuro, do amanhã.

A nossa essência é calma e serena, mas então por que vamos para o futuro? Qual é a necessidade da ânsia pelo controle?

Você já experimentou soltar? Eu falo em soltar os resultados da ação, soltar os pensamentos, soltar aquilo que não controlamos. O estado ansioso reflete a necessidade de controlar o que será o amanhã.

Quando vivi por muitos anos crises de ansiedade sem saber o real motivo, encontrei a meditação e o yoga, talvez o meu grande desafio foi reconhecer que estava ficando doente com uma mente ansiosa e uma respiração curta, tinha insônia, sudorese e taquicardia, e reconhecer que ela existia e estava presente no meu dia a dia, no meu corpo, na minha vida e a grande questão era: o que estava acontecendo comigo?

Então decidi que precisava de ajuda e foi quando iniciei a minha prática de yoga, e confesso que o relaxamento era a parte mais difícil nas aulas. Como assim relaxar o corpo e a mente isso existe? E então chegou um dia em que me lembro claramente, que eu pude sentar para meditar e vi que dentro do silêncio que me habita, existe um lugar calmo e sereno. Um estado que não imaginava existir antes, mas tive que mergulhar e me permitir viver essa experiência, sair de uma zona de conforto para me permitir viver outros estados, respirando melhor e fazendo escolhas mais conscientes. E as vezes percebo que posso voltar para estados ansiosos, mas com autoconhecimento fica mais fácil me resgatar dessas situações que surgem.

Com a auto-observação e autoconsciência das emoções, percebo a inteligência do meu corpo, para digerir essas emoções que surgem, inclusive o que a ansiedade quer me mostrar no momento em que se apresenta. Hoje com mais consciência e inteligência emocional, não luto contra ou faço de conta que não estão ali, mas observo o que isso me trouxe para o meu aprendizado.

Dizer que estou livre de estados ansiosos, não seria uma verdade, mas posso dizer que consigo me resgatar desses estados com mais consciência.

Gratidão a vida por me permitir ter estados mais serenos e calmos da mente, hoje eu vivo a impermanência que é vida e busco não me preocupar com o amanhã. E mesmo sem saber sobre o futuro, eu digo SIM a VIDA assim como ela é, e permito que o depois se apresente no seu tempo, pois existe o momento certo para tudo.

E como você tem vivido o seu momento presente?

Quer conhecer o que pode contribuir para minimizar a ansiedade?  Clique AQUI

Elis

Instrutora de Yoga e Facilitadora em Constelação Sistêmica

Você quer mudar a sua vida?

Talvez essa seja a vontade de muitas pessoas. Seja por estarem em num relacionamento, trabalho ou morando em uma cidade que não está mais em sintonia com o seu atual momento de vida. Inevitavelmente o processo evolutivo do ser humano exige mudança, sair da zona de conforto, experimentar lugares e experiências desconhecidas. Como já sabemos tudo muda o tempo todo no mundo, mas muitas vezes paralisados pelo medo, não damos o primeiro passo rumo àquilo que nossa intuição deseja.

O momento ideal sempre será o agora. A transformação começa internamente. Não espere mudar somente quando realizar isso ou aquilo, ou quando conquistar bens materiais/recursos. Em muitas ocasiões, essa decisão acaba sendo prorrogada e o tempo é algo que não para. Já sabemos que na vida sempre haverá o momento certo, mas se não houver uma disposição para realizar a transformação, seja espiritual, profissional, melhorar a qualidade de vida, saúde, ou qualquer que seja o seu momento, isso não chegará até você. O movimento da mudança sempre começa internamente.

O tempo é algo precioso em nossas vidas, e trabalhar com ele a nosso favor, sempre será uma escolha consciente. E como o próprio Dalai Lama cita: “só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver”.

A vida é para ser contemplada durante todo seu caminho, em todas as suas fases. Portanto, aprecie tudo e todos à sua volta durante o trajeto. Esteja no estado de presença, escute a intuição e observe os sinais que te direcionam para onde seguir. Como já sabemos, tudo passa rápido, então o Natal já chegou, um ano novo inicia e qual é a mudança que você deseja hoje?

Elis

Facilitadora em Constelação Sistêmica